Superman é o mais famoso super-herói de todos os tempos, o mais poderoso, capaz de dobrar o aço como borracha, mais rápido que uma bala, pode voar a super-velocidade, possuidor de um forte senso de justiça. A perfeição em corpo e mente, é um personagem que fascina e conquista gerações. Vamos conhecer um pouco de sua história e entender o mito.

Uma breve história do último filho de Kripton

 Superman é um personagem icônico, sua marca vale bilhões de dólares e este ano fez 74 anos de criação.

Superman, criado por Jerry Siegel e Joe Shuster, foi apresentado ao público em 1938, mas sua criação foi bem antes disto. Já em 1933, o primeiro esboço do Superman foi feito pelos criadores em uma fanzine chamada Science Fiction, na história The Reign of Superman, onde o Superman era um vilão com poderes mentais. No ano seguinte mudou o conceito para um aventureiro com habilidades subrehumanas. A estréia ocorreu na revista Action Comics e o sucesso foi imediato, mais de um milhão de exemplares foram vendidos. Até sua criação, não existiam super-heróis, existia heróis fantasiados, ou semi-deuses nos quadrinhos, mas foi o Superman a juntar o uniforme a super-poderes. Mas no início ele não era tão poderoso, tinha super-força, mas muito mais fraco do que é hoje, sua pele era invulnerável, as balas ricochetiavam, mas uma bomba podia ferí-lo ou até matá-lo. Não voava, só dava saltos de uns 200 metros. Com o passar dos anos, foi se tornando super-poderoso e os outros poderes foram aparecendo. Esse conceito de menos poderes foi trazido de volta por Grant Morrison quando houve o reboot do Universo DC. A criação do Superman foi um enorme fenômeno e um grande impacto cultural no início do século XX. Esta era a época da Grande Depressão, e logo depois entrou a 2ª Guerra Mundial. Os americanos estavam com sua moral baixa. O Superman chegou e mudou os ânimos deles, o personagem mexeu no imaginário dos jovens, o Homem de aço representava o estilo de vida americano.
Por serem judeus, Siegel e Shuster incluiram aspectos bíblicos nas histórias de sua origem: Kal-El, o nome kriptoniano do Superman, é o único sobrevivente de um planeta condenado, Kripton, é salvo por seu pai, Jor-El, que o manda para a Terra em uma nave , onde é adotado por um casal do Kansas e quando se torna adulta, vira o maior herói do mundo, um salvador. Se fizermos um paralelo, sua história é como de Jesus, que veio dos céus para salvar os homens. Ou mesmo como a história de Moisés, que foi deixado em um cesto, que desceu o rio e encontrado pela esposa do Faraó. Quando cresceu, se tornou o salvador dos judeus. Também usa a mitologia grega, pois sua força e heroísmo era baseado em Hércules.

Superman foi parar em outras mídias, como rádio, cinema, desenhos, etc, onde foi criado muito de sua mitologia, como a kriptonita, que nasceu no rádio, só para citar um exemplo. Outro exemplo é a animação dos irmãos Fleischer, de 1941, que fez o Superman voar, até esta animação, ele só saltava. Depois, o poder foi incorporado nos quadrinhos.
 

A personalidade do Homem de Aço também mudou muito com o tempo. Na época do da depresão e na 2ª Guerra, o herói até matava, mas com os anos 50 e 60 sua personalidade foi evoluíndo até ser contra matar qualquer forma de vida. Enquanto vários autores e desenhistas iam contribuindo para as histórias do Superman, mais poderes, mais poderoso e mais bondoso se tornava o Último Filho de Kripton.

As vendas das revistas do Superman, como todo o mercado de Quadrinhos oscilava entre o altos e baixos, obrigando sempre a DC Comics a mudar algo, mas a essência do super-humano, bondoso e autruísta sempre foi mantida. No final dos anos 70 e início dos 80, Superman já era conhecido no mundo todo, e quando foi feito o filme Superman de Richard Donner, com Christopher Reeve, Gene Hackman e Marlon Brando, só consolidou o personagem como o mais importante de todos os tempos.


Nos anos 80, a DC revitalizou o universo DC, com a saga Crise nas Infinitas Terras, que acabava com o conceito das múltiplas Terras, atualizando ou mesmo mudando a origem de todos os heróis da editora. Coube a John Byrne a árdua tarefa de recontar a origem do maior herói de todos os tempos. E teve sucesso na empreitada, pois foi fiel ao material original, embora muito poderoso, não era mais praticamente um deus. Mas continuou sendo o Super que todos amam e respeitam. Mas com o passar dos anos, após a saída de Byrne, começaram a novamente recontar sua origem várias vezes, e novamente o personagem começou a perder vendas, até que em 2011, a DC novamente fez um reboot no seu Universo, mudando tudo, zerando a numeração das suas revistas e recontando a origem dos personagens. Desta vez até o uniforme do Superman foi bem alterado, até a famosa cueca por cima das calças foi esquecida. Agora ele usa uma armadura(?). Mas sua personalidade foi alterada, de um herói bondoso, altruísta e modesto, passou, após este reboot, a ser autoconfiante demais, desconfiado e até muito cheio de si. Na série Action Comics, escrita por Grant Morrison, o Superman não é tão super, é muito mais fraco e não pode voar, ele, que antes, nunca infringia a lei, agora além de passar por cima dela atacando os criminosos, ainda é cassado pela polícia. E na série da Liga da Justiça, que se passa anos depois, já com todos seus poderes, quando se encontra pela primeira vez com o Lanterna Verde, simplesmente o soca, jogando longe se nenhum aviso, sem saber o que o herói queria. Após, provoca o Batman, chamando para briga, para logo depois atacar o morcego. Também nesta série, ele ataca e mata os para-demônios de Darkside. Este não é o Superman que conheço. Mas foi a forma da DC atualizar o personagem, ainda mais que os heróis de hoje que fazem sucesso são os bad boys. Mas, para mim, deturpou tudo o que o Homem de Aço representa.


Mas que um Super-Homem

O Superman não é terráqueo, mas é idêntico a um, veio de um planeta distante antes de sua destruição, foi adotado por um casal de fazendeiros com forte senso moral, e adulto, apresentava poderes extraordinários, como super-força, invulnerabilidade, poder de voo, supervelocidade, visão de raio-x, visão de calor, visão telescópica e microscópica. Mas não é somente isto que fascina os fãs deste sua criação, mas sua moral, seu senso de justiça, sua bondade. Mas, graças a isto, também é depreciado por muitos, por ser perfeito demais. Justo demais. Superman não é super apenas no corpo, mas também na mente, no coração. Possui uma bondade maior que qualquer humano, capaz de dar a vida pela humanidade. Diferente do Batman, que utiliza o medo como arma, o Superman inspira as pessoas. Sua bondade, senso de justiça, ele não é capaz de cometer um ato errado ou injusto. Com os poderes capaz de destruir o mundo, ele somente usa a força como último recurso. Mas, nos dias de hoje, consideram-o um personagem chato, bonzinho demais. Como alguém tão poderoso pode ser tão certinho nos tempos que os heróis violentos e até mesmo assassinos fazem sucesso?
O Homem de Aço vê o que ninguém mais vê, ouve o que ninguém consegue ouvir, sente-se mal se não consegue salvar uma unica vida. Além disso, sua personalidade exemplar torna-o uma ilha em meio à turbulência humana. As atitudes e pensamentos das pessoas que o cercam não fazem sentido para ele. Embora criado por humanos, com sentimentos e dúvidas bem humanas, sua natureza kriptoniana não foi sufocada, pelo contrário; acabou sendo realçada por essa educação rural simples. Em um mundo tão imperfeito, onde pessoas matam por motivos fúteis, onde os mais fortes dominam os mais fracos, o Superman se vê sozinho, único sobrevivente de seu planeta, único de sua espécie, praticamente um deus entre homens, vivendo como um deles, como Clark Kent, um repórter do Planeta Diário. Alguém superior em corpo e mente, tentando viver como um simples humano, respeitando a capacidade das pessoas de fazer o bem e temendo a capacidade destas mesmas pessoas de se destruírem. Hoje em dia, super-heróis com super-força e vários outros poderes são bem comuns, os heróis violentos como o Batman e sanguinários como Wolverine, são os preferidos dos atuais leitores, mas o que diferencia e o torna o maior herói de todos os tempos, é seu altruísmo, sua capacidade de fazer o bem e inspirar as pessoas. O Superman é o oposto de sentimentos ruins com os quais convivemos todos os dias: egoísmo, inveja, egocentrismo. Ele é o exemplo da perfeição. Irreal, sim, inalcançável, sim. Mas nem por isso menos admirável. Neste mundo de hoje, não é seus poderes que o tornam super, a sua maior força é seu caráter , é o que o torna o Super-Homem.

5 comentários »

  1. Aí Sr. JJJameson, muito bacana o seu texto. Principalmente a parte final. Você capturou exatamente o que é ser um Superman hoje em dia e não é ser o mais forte ou dar mais porrada em todo mundo, mas ser o maior exemplo quando ninguém mais quer saber de exemplos. Parabéns!

    Curtir

  2. Aí Sr. JJJameson, muito bacana o seu texto. Principalmente a parte final. Você capturou exatamente o que é ser um Superman hoje em dia e não é ser o mais forte ou dar mais porrada em todo mundo, mas ser o maior exemplo quando ninguém mais quer saber de exemplos. Parabéns!

    Curtir

Deixe uma resposta para Tiago Amaral Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.