Depois do estrondoso sucesso de Os Vingadores e conseqüentemente do MCU da Marvel Studios, finalmente chegou sua sequência. A grande questão era qual seria um grande desafio que faria com que os heróis se reunissem novamente? Ao mesmo tempo que precisa ser um desafio diferente. Nisso, acontece o processo de criação de a Era de Ultron, um filme um tanto confuso, onde houve uma embate na vida real, sendo de um lado Joss Whedon e do outro a Marvel Studios. O diretor que consolidou a Marvel nos cinemas quase teve sua carreira manchada por este filme.

O sucesso do primeiro Vingadores estava ligado intrinsecamente ao diretor, tanto que além de dirigir e escrever o filme, ele ficou responsável também pela série Agentes da Shield, além de ter se tornado o consultor de todos os filmes da fase 2. Whedon não tinha certeza se retornaria, mas rapidamente mudou de ideia. Ele disse que estava animada em contar mais histórias com esses personagens, que não houve nenhum disputa para isso.

Vingadores Avante

Foi em agosto de 2012 que foi oficializado que Whedon iria retornar para dirigir e escrever a sequência e foi nesse contrato que acabou entrando os Agentes da Shield em sua responsabilidade e ele chegou a escrever o roteiro e dirigir o piloto da série.

Após isso, Whedon começou a escrever os Vingadores 2 e neste mesmo tempo a Marvel renovava o contrato com Robert Downey Jr. Seu contrato de 4 filmes se encerrou em Homem de Ferro 3 e a Marvel não queria fazer um novo Vingadores sem sua maior estrela. Então, o estúdio estava pensando no futuro e seu contrato era para fazer mais duas sequências dos Vingadores, pelo menos.

A cena da fazendo quase não aparece no filme, Whedon teve que brigar para incluí-la

As negociações entre Downey e a Marvel foram complicadas, pois o ator já havia renegociado um contrato novo após o primeiro Homem de Ferro, em que ele receberia uma porcentagem das bilheterias em todos os filmes da Marvel que ele apareceria. No caso dos Vingadores, sozinho ele ganhou incríveis US$ 50 milhões. Já em 2013, logo após Homem de Ferro 3 chegar aos cinemas, as negociões começaram e eram tensas. O próprio Downey já admitia que os Vingadores seriam feitos sem Tony Stark. Em junho de 2013, o ator e a Marvel chegaram a um acordo para voltar para os Vingadores 2 e 3, mas teve que renegociar novamente para Capitão América: Guerra Civil. Mas isto é história para um novo artigo.

A estreia de Visão

Depois disso, no verão americano em 2013, Whedon começou a preparar o novo filme, que ele queria que fosse em menor escala, mais pessoal. Não queria que fosse uma repetição do que tinha dado certo no primeiro. Como podem perceber, isso não aconteceu, pois na San Diego Comic Con, o título do filme foi revelado, A Era de Ultron e então logicamente o vilão foi o robô Ultron e não Thanos, como os fãs imaginavam. Mas Thanos nunca foi a escolha para o segundo vilão, ele era o chefão que ficava nas sombras até atacar sem piedade.

Sarcástico e engraçado, o vilão foi um achado

A Era de Ultron nos quadrinhos não seria adaptada em sua tonalidade. Na verdade, a história era totalmente diferente. Até em sua origem, que tinha Hank Pyn, o Homem-Formiga como o criador do robô, teve que ser mudado, pois o personagem estava sendo trabalhado para o filme do Homem-Formiga. Então Whedon retrabalhou a história para a relação entre pai e filho com Stark. Com um elenco já estelar, James Spader foi chamado para dar vida e voz ao vilão robótico por meio de captura de movimento.

Whedon queria que o filme fosse mais dinâmico, então trouxe dois novos personagens, Mércurio e Feiticeira Escarlate. Como esses personagens eram compartilhados com a 20th Century Fox, Whedon teve limitações ao usá-los. Não poderiam ser mutantes, pois mutantes faz parte do universo dos X-Men que pertencia a Fox, não poderiam serem filhos de Magneto e muito menos fazerem menção a ele.

Mercúrio e Feiticeira Escarlate: ele morre nesse filme e não fez falta, ela foi muito importante no MCU

Os problemas começaram com Whedon desenvolvendo o filme e a série de Agentes da Shield que iria estrear em setembro de 2013, o que a Marvel começou a achar ruim. Outro problema para Whedon foi que Kevin Feige disse que em Capitão América 2, a Shield seria destruída. Mesmo assim Whedon seguiu em frente e co-escreveu e dirigiu o piloto da série e só depois se dedicou exclusivamente a Era de Ultron.

A Era de Ultron teve as filmagens iniciadas em fevereiro de 2014, para uma estreia em maio de 2015, mas para Whedon o filme ficou muito complicado com o elenco expandido como tinha ficado. Whedon acabou sendo obrigado a mudar seu modo de filmar, em vez de fotos totalmente planejadas, começou a usar várias câmeras. Neste ponto, ele começou a achar ruim e que estavam tirando o controle de suas mãos.

Homem de Ferro usando a Hulkbustrer vs Hulk, a melhor batalha do filme

No final do filme, a formação dos Vingadores ficou um pouco diferente e Whedon tentou influenciar a Marvel a deixá-lo apresentar a Capitã Marvel e o Homem-Aranha, mas não conseguiu, pois Kevin Feige tinha outros planos. Para Feige, apresentar a Capitã Marvel sem um filme de origem seria um desserviço a personagem.

Cenas com Tom Hiddleston tiveram que ser cortadas, onde ele estaria em um sonho de Thor, tudo por causa de que o personagem seria visto controlando Ultron pelos expectadores e tiraria o foco do filme. Em agosto de 2014 as gravações terminaram, mas os problemas de Whedon só começaram. A Marvel e o diretor estavam tendo problemas para quais cenas seriam importante para o filme. A cena da caverna era descartável para Whedon, mas era importante para a Marvel. A cena da fazendo era importante para Whedon, mas não para a Marvel. Depois de uma queda de braço, com Whedon lutando muito para manter a cena, conseguiu mantê-la, mas teve que filmar a cena da caverna. Para o diretor, o desgaste era cada vez maior.

Joss Whedon teve muito desgasta com a Marvel e isso foi refletido no filme. Depois deste filme, o diretor abandona a Marvel

As crises com a Marvel foi vista por Whedon como um presente e ao mesmo tempo uma maldição. Whedon teve que lutar muito para chegar ao filme que ele queria. O filme tinha três horas de duração e Whedon queria o filme menor, então teve que eliminara várias cenas, com os gêmeos, da Viúva Negra. Mas conseguiu chegar a um acordo de como o filme ficou.

Em 1 de maio de 2015, Vingadores: A Era de Ultron chegou ao cinemas e arrecadou US$ 191,2 milhões no fim de semana de estreia na América do Norte, ganhado US$ 17 milhões a menos que o primeiro os Vingadores. Quando sua carreira no cinema terminou, Vingadores: A Era de Ultron arrecadou US$ 1,4 bilhão, aquém do primeiro filme, mas mesmo assim foi um sucesso. No geral, as críticas foram positivas para o filme, mas A Era de Ultron foi um filme estranho, sombrio e bem diferente do clima do primeiro filme.

Tony Stark se prepara para enfrentar seu “filho”, Ultron

A Era de Ultron foi um filme divisionista, ambicioso, com um diretor que teve que fazer um blockbuster com algo a dizer. O produto pode não ser o que o diretor queria exatamente, mas a importância para o MCU é inegável. Mas não era somente contra Whedon que a Marvel travava uma batalha, um outro filme que tinha sua produção para seu próximo filme para iniciar também estava dando problemas. Mas esse fica para a próxima semana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.