A Marvel Studios já estava consolidada, com seu universo cinematográfico a pleno vapor com 14 filmes já produzidos e bem sucedidos, tendo lançados a franquia de super-heróis, sequências e filmes dos Vingadores sem precedentes, ainda faltava o maior desejo dos fãs se concretizar. O personagem mais famoso e querido da Marvel não fazia parte de seu rol de heróis, o Homem-Aranha. Mas Kevin Feige queria mudar isso e em uma negociação histórica e sem precedentes, ele conseguiu trazer, para a alegria dos fãs, o Cabeça de Teia para o MCU. Vamos ver como foi.

Durante muitos anos, os fãs desejavam o Escalador de Paredes no MCU, deste que o filme Os Vingadores chegou ao cinema, mas ao mesmo tempo, isso era considerado impossível. A Sony nunca iria abrir mão do maior herói da Marvel, ainda mais que os filmes ultrapassavam US$ 3 bilhões. Mesmo que os dois últimos filmes protagonizados por Andrew Garfield tenham conseguido um bom retorno financeiro, foi massacrado pela crítica e decepcionou os fãs.

Tom Holland foi escolhido para ser o Peter Parker

Mesmo sendo considerado um estúdio rival, a Sony foi a responsável pelo início da era dos super-heróis com o Homem-Aranha de Sam Raimi em 2002. Mas então, o declínio dos filmes do Aranha começou. Foi aí que começou algo histórico, com os estúdios entrando em um acordo inédito, que talvez nunca vá acontecer com outros estúdios. Eles dividiram o personagem, com a Marvel podendo usar o Aranha em seu MCU, enquanto a Marvel ajudaria na produção dos filmes próprios, feitos pela Sony. E assim nasceu Homem-Aranha De Volta ao Lar.

Quando o filme o Espetacular Homem-Aranha 2: A Vingança de Electro foi muito mal recebido pelo público e crítica, o consenso geral era que a Sony faria um novo reboot e caso não desse certo, continuaria um novo reboot e seria assim para sempre, nunca iria abrir mão de sua galinha dos ovos de ouro.

John Watts acabou com a vaga de diretor após vários nomes na lista

Mas o que ninguém sabia era que a Marvel e principalmente seu presidente, Kevin Feige, estavam ansiosos para recuperar seu personagem mais importante, que começaram a fazer contato com a Sony em 2014, logo após o lançamento de Espetacular 2. A sequência desse filme foi abortado e um novo filme do Aranha seria feito para lançar o Sexteto Sinistro, que seria prioridade da Sony naquele momento. Então Feige e o CEO da Marvel Entertainment, Ike Perlmutter, deram fizeram sua jogada.

A proposta da Marvel foi que a Sony liberaria o Aranha para participar de Capitão América: Guerra Civil e a Marvel iria ajudar a reiniciar o personagem em filmes solo na Sony. Amy Pascal, a diretora da Sony Pictures na época, estava hesitante, ainda mais com as exigências de Perlmutter que queria que o acordo só beneficiasse a Marvel. Para ele, os filmes do Aranha tinham que render para a Marvel 50% do que arrecadar, enquanto a participação da Sony no filme Guerra Civil teria que ser de 5%. Logicamente a Sony declinou e se afastou das negociações.

O filme De Volta ao Lar aprofundou o relacionamento de mestre-pupilo com a contratação de Robert Downey Jr

A produção de Guerra Civil estava se preparando em outubro de 2014, mas o acordo ainda não havia sido fechado. Como a Sony estava querendo dar prosseguimento a ideia de fazer o filme do Sexteto, escrito e dirigido por Drew Goddard, a Sony não estava interessada em continuar a conversa com a Marvel, mas o ataque de hackers aos servidores da empresa liberou para o público o acordo que estavam fazendo com a Marvel, e logo quando o primeiro rascunho do filme do Sexteto tinha acabado de ser escrito por Goddard.

Com o acordo agora público, a Sony se viu contra a parede e se voltou para a Marvel para poderem fechar aquele acordo de co-produção. Esse acordo inovador foi anunciado em 9 de fevereiro de 2015. O novo Homem-Aranha iria estrear em 2016 pela Marvel no MCU em Capitão América: Guerra Civil lançado pela Disney e depois, esse mesmo Homem-Aranha teria seu próprio filme lançado pela Sony em 2017 e produzido pela Marvel. O acordo foi bem mais simples do que defendia Perlmutter. A Marvel e a Sony ficariam com 100% da arrecadação de seus próprios filmes. Então, os filmes próprios do Aranha lançados pela Sony dariam 0% para a Marvel e os filmes do MCU que o Aranha participasse daria 0% de lucro para a Sony.

O elenco de De Volta ao Lar foi o mais diversificado do MCU

E outro item do acordo era a taxa anual que a Marvel paga à Sony para manter os lucros de brinquedos e merchandising do personagem Homem-Aranha na Marvel. Ele seria reduzida para US$ 35 milhões se o novo Homem-Aranha produzido pela Marvel arrecadasse mais de US $ 750 milhões (o que acabou conseguindo). Além disso, os dois estúdios têm a satisfação de fazer um grande filme do Homem-Aranha, dando ao personagem um destaque adicional em vários filmes de MCU.

Como a produção de Guerra Civil já estava indo em vento e popa, imediatamente os estúdios começaram a correr para lançar as cenas do Aranha para o filme. O acordo entre a Sony e Marvel dava a Sony a palavra final do elenco, mas ela trabalhou em parceria com a Marvel para escolher o novo ator para o Homem-Aranha. Ambos os estúdios concordaram que o herói fosse um adolescente de 15 ou 16 anos, em contraste com os outros heróis do MCU que estavam entre 30 e 40 anos.

Marisa Tomei como Tia May

No final de abril de 2015, várias listas de elenco foram surgindo depois que as   filmagens da Guerra Civil começaram. Marvel e Sony consideraram atores como Nat Wolff,  Asa Butterfield,  Timothee Chalamet,  Liam James e, claro,  Tom Holland  para o papel de Peter Parker. Os estúdios estavam testando atores ao lado de Robert Downey Jr e Chris Evans em maio, quando Butterfield e Holland se tornaram os único a disputar o papel. Em 23 de junho a Marvel anunciou Holland como o novo Homem-Aranha e dias depois, ele já estava gravando no set de Guerra Civil.

Ao mesmo tempo, a Marvel e Sony estavam montando uma nova equipe criativa para o futuro filme do Homem-Aranha, que estava programado para ser produzido logo após Guerra Civil. Em maio de 2015, vários cineastas foram considerados, mas o foco era um que pudesse trazer o espirito John Hughes de uma aventura ambientado no ensino médio. Até que em 23 de junho, John Watts, graças ao seu trabalho em A Viatura, foi contratado como diretor do novo filme do Homem-Aranha.

Michael Keaton deu vida ao vilão Abutre

Watts acabou indo até o set de Guerra Civil, que além de aprender sobre como filmar os filmes da Marvel com os Irmãos Russo, também foi conhecer a abordagem desse novo Homem-Aranha. Em julho, Daley e Goldstein, que antes estavam na corrida para dirigir, foram contratados para escrever o roteiro do novo filme. Todos os envolvidos concordaram em não contar a história da origem e, em vez disso, acertaram em fazer um conto sobre amadurecimento estabelecido nos corredores de “vida ou morte” do ensino médio.

A história continuou a se desenvolver para o filme que seria conhecido como Homem-Aranha de Volta ao Lar. Robert Downey Jr foi adicionado ao elenco como o mentor de Peter. Quanto ao vilão, como vários já tinham ganhado uma encarnação nos filmes anteriores, acabou por ser o Abutre o novo grande oponente. E de acordo com Feige, ele foi praticamente o único escolhido quando estavam decidindo.

Enquanto Michael Keaton foi escolhido para o papel do vilão, jovens atores estavam sendo escolhidos para os colegas de classe de Peter, como Zandaya e Jacob Batalon. Watts queria que os alunos do ensino médio fossem os mais reais possíveis, com uma grande diversificação e não uma cópia dos alunos médios dos anos 50.

Neste filme o Aranha ainda estava muito imaturo e causava muita confusão

As filmagens de Homem-Aranha Longe de Casa começaram em junho de 2016, época em que também havia sido adicionado ao filme Chris McKenna e Erik Sommerse, Christopher Ford & Watts como roteiristas creditados ao lado de Goldstein & Daley.

Homem-Aranha Longe de Casa estreou em 07 de julho de 2017 e foi aclamado por crítica e público e faturou US$ 117 milhões em sua fim de semana de estreia, que foi a maior abertura para um filme do Homem-Aranha deste Homem-Aranha 3 de 2007. O filme fechou sua exibição com um total de US$ 880 milhões em todo o mundo e superou os dois últimos filmes do Aranha. Mais importante ainda, o filme apresentou uma nova versão do personagem de Peter Parker, com quem os fãs instantaneamente se apaixonaram.

Ned Leeds é o melhor amigo do Aranha, uma mudança drástico com o personagem nas HQs

Mas é incrível que o acordo entre a Sony e Marvel tenha realmente acontecido. Dois estúdios rivais se uniram, sem qualquer troca significativa de dinheiro, para compartilhar um único personagem que beneficiasse os dois lados. Mais uma vez, a Marvel / Disney não ganhou dinheiro com as bilheterias por De Volta ao Lar. Eles simplesmente tiveram a satisfação de conseguir supervisionar pessoalmente as decisões criativas tomadas ao montar o filme, e posteriormente fazer o crossover do adorável Peter Parker de Tom Holland em outros vários filmes de MCU. Esse tipo de acordo reflete a paixão de Feige and Cia. por esses personagens.

Essa mesma paixão também foi usada para perceber o que não funciona e tomar decisões para retrabalhar seus personagens. Na próxima semana, vamos ver como foi a criação de Thor: Ragnarok.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.