Depois do sucesso de Capitão América: O Soldado Invernal, a Marvel tinha elevado o nível das tramas, graças aos irmãos Russo, e agora havia um novo filme que estava chegando, mas era uma aposta muito arriscada. Afinal, a Marvel já tinha provado que conseguia utilizar personagens não tão famosos (Homem de Ferro não era um personagem incrivelmente famoso ou um brinquedo popular até lançar o primeiro filme. Depois de tantas apostas certeiras, então a Marvel arriscou muito ao lançar em 2014 um filme de super-heróis no espaço, estrelado por um guaxinim falante e uma árvore humanoide inteligente. O resultado foi um dos filmes mais influentes do século XXI.

Guardiões da Galáxia foi uma das primeiras adaptações da Marvel Comics desenvolvidas pela Marvel Studios, mesmo que o filme só começasse a ser feito somente em meados de 2010. Quando a Marvel Studios decidiu fazer seus próprios filmes, eles criaram um programa de roteiro no qual os roteiristas desenvolviam adaptações em quadrinhos que poderiam ou não serem feitas. Um desses roteiros em andamento foi Guardiões da Galáxia, que a escritora NicolePerlman ficou muito empolgada em trabalhar eselecionou entre uma mistura de vários quadrinhos disponíveis para adaptação.

Vendo uma grande oportunidade de expandir o MCU após os Vingadores para o cenário cósmico, A Marvel vislumbrou uma porta de entrada para o eventual enredo da Guerra Infinita e a introdução de Thanos. Perlman passou dois anos desenvolvendo o roteiro, onde teve total liberdade de explorar as possibilidades relacionadas aos Guardiões.

Perlman estabeleceu a formação do grupo com Peter Quill, Gamora, Drax, o Destruidor, Rocket Raccoon e Groot, mas o principal vilão dos primeiros rascunhos era Thanos. Mas a Marvel acabou decidindo deixar o Titã louco para depois.

Perlman acabaou deixando Guardiões por um tempo, pois o programa de roteiristas era um contrato de exclusividade e não deixava os roteiristas trabalharem em outros projetos. Mas ela acabou voltando por volta de 2011 para trabalhar mais seis meses como freelancer, antes de um diretor ser contratado. Mas Perlman sabia que seu roteiro seria reescrito, pois ela tinha ciência que a Marvel iria trazer um diretor-escritor.

No início de 2012 a Marvel contratou James Guun para reescrever e dirigir os Guardiões da Galáxia. Gunn era uma escolha improvável, pois seus filmes anteriores, Slither e Super, mostravam características sombrias e brutas, mas mostrava experiência variada como escritor ao roteirizar o live-action de Scooby Doo, além do filme remake dirigido por Zack Snyder, Madrugada dos Mortos. Mas antes da escolha de Gunn, os futuros diretores de outros filmes das Marvel, Peyton Reed (Homem-Formiga) e Anna Boden e Ryan Fleck (Capitã Marvel) estavam na disputa. Essa lista prova que ao não serem escolhidos em um filme, os cineastas não possam trabalhar em outros na Marvel.

Gunn refez o roteiro de Perlman ao seu gosto, um assunto que acabou sendo controverso após o sucesso do filme. Oficialmente, o roteiro de Guardiões da Galáxia é creditado a Gunn e Perlman, mas Gunn menosprezou o papel de Perlman em uma entrevista ao Buzzfeed ao dizer que embora o conceito original do filme estava lá, a história e personagens foram recriados pelo diretor. Ainda foi além, expressando seu descontentamento com a arbitragem da WGA, que parece sugerir que ele teria preferido que Perlman recebesse um crédito de “história por” em vez de um crédito de roteiro completo. Gunn disse que toda a história era diferente, além do arcos dos personagens, detalhes, como a introdução do Walkman, entre outros.

Além disso, foi relatado em agosto de 2012 que a Marvel estava contratando Chris McCoy para reescrever o roteiro de Perlman, mas o escritor não recebeu crédito nenhum pelo filme e nem pelas contribuições, se houve alguma.

O presidente da Marvel Studios, Kevin Feige disse que a base do roteiro era de Perlman, como a formação dos personagens e estruturo geral. Mas que o restante foi tudo James Gunn.

Como Gunn começou a refazer o roteiro de Perlman, ele adicionou o personagem de Nebula, abandonou Thanos como o principal vilão em favor de Ronan e reconcebeu o personagem de Yondu como contrabandista e a figura paterna de Peter Quill. Gunn admitiu, no entanto, que escrever as cenas de Thanos era difícil, pois era claramente algo mais importante para a Marvel estabelecer as bases para Vingadores: Guerra Infinita e ele não queria menosprezar o papel de Ronan.

Guardiões da Galáxia é obviamente famoso por sua excelente trilha sonora, mas Gunn realmente escreveu muitas das cenas baseadas nas músicas. Quanto à maneira como ele escolheu o que incluir, foi um processo de tentativa e erro.

Enquanto Gunn reescrevia o roteiro, o elenco começou a ser escalado. Vários atores foram testados para o papel de Peter Quill, como Joel Edgerton, Jack Huston, Eddie Redmayne, Jim Sturgess e Lee Pace, este último acabou ficando com o papel de Ronan. Supostamente, Joseph Gordon-Levitt, Zachary Levi, Garrett Hedlund, James Marsden e Michael Rosenbaum também estavam cotados, mas foi Chris Pratt que acabou conseguindo o papel, embora quase não tenha conseguido.

Em uma situação semelhante a de Chris Hemsworth em Thor, Gunn inicialmente recusou a sugestão de escalar Pratt, que na época era mais conhecido por trabalhos de TV como Everwood e The OC e estrelou em Parks and Recreation como Andy Dwyer. De fato, quando Pratt foi fazer um teste, ele ganhou muito peso por seu papel em O Entregador, mas prometeu que poderia se moldar no tempo necessário para filmar Guardiões. Ele conquistou Gunn e os produtores do filme, e o resto é história.

Depois foi Zoe Saldana que conseguiu o papel de Gamora, mas o papel de Drax ficou entre Jason Momoa e Dave Bautista. Bautista acabou conseguindo o papel, mesmo com Momoa estando em evidencia por ter participado na época de Game of Thrones.

As filmagens de Guardiões da Galáxia começaram em julho de 2013 em Londres e duraram até outubro. Por cruzar com o cronograma de produção de Parks and Recreation, Pratt teve que obter permissão da NBC para se ausentar de alguns episódios da comédia. Mas isso deu ao showrunner Michael Schur a ideia de fazer uma história de duas partes em que os personagens visitaram Londres, então Pratt foi capaz de filmar cenas para a estreia da temporada enquanto ele ainda estava filmando Guardiões da Galáxia. Quanto à forma como o seriado explica o corpo repentinamente musculoso de Andy, ele menciona que simplesmente parou de beber cerveja.

Curiosamente, a produção de Guardiões da Galáxia avançou sem três papéis principais: Rocket, Groot e Thanos. No set, o irmão e ator de Gunn, Sean Gunn, fez o papel de Rocket, para que ele pudesse interpretar os outros personagens. Isso foi um acréscimo ao papel de Gunn como Kraglin.

A Marvel cogitou a escalação de Jim Carrey ou Adam Sandler no papel de Rocket, querendo um ator de nome para o papel, dada a falta de estrelas para o grupo principal, mas, finalmente, Bradley Cooper foi escalado. Vin Diesel posteriormente conseguiu o papel de Groot, e quando a Marvel começou a explorar o futuro do MCU, eles se aproximaram de Josh Brolin para interpretar o vilão supremo Thanos. Feige explicou que conversou com Brolin algumas vezes por telefone e o ator estava empolgado, pois era fãs do que foi feito até ali.

Guardiões da Galáxia estreou nos cinemas em 1º de agosto de 2014, o que tradicionalmente não era um grande fim de semana para sucessos de bilheteria de verão. Este filme mudou isso (e muito mais), já que fez enormes US$ 94,3 milhões de bilheteria e acabou arrecadando US$ 773,3 milhões em todo o mundo. O fato de esse ter se tornado o terceiro filme de maior bilheteria da Marvel até hoje – não uma sequência, não um filme dos Vingadores, mas o começo de uma franquia totalmente nova – foi um testemunho da agitação em torno do filme. Os críticos e o público adoraram, e seu legado se tornaria importante para o Universo Cinematográfico da Marvel.

De fato, o sucesso de Guardiões da Galáxia deu à Marvel a confiança de se tornar um pouco mais idiossincrática com seus filmes, permitindo que roteiristas/diretores ultrapassem os limites do que um filme de MCU poderia ser. Ele introduziu o reino cósmico de uma maneira enorme e, em retrospectiva, podemos ver como esse foi o primeiro trampolim para os aspectos mais estranhos de filmes como Vingadores Guerra Infinita e Vingadores Ultimato.

Mas Guardiões da Galáxia também influenciou o mundo do cinema. Da mesma maneira que Batman Begins lançou uma enxurrada de “reinicialização mais realistas”, Guardiões da Galáxia serviu de modelo para um tipo diferente de ficção científica ou filme de equipe. Um que poderia ser descaradamente estranho, engraçado e cheio de personalidade. Não é segredo que a Warner Bros. Usou os Guardiões como uma influência em seu próprio “filme de equipe estranha” Esquadrão Suicida, e alguns críticos chegaram ao ponto de dizer que, em termos de narrativa de ficção científica, Guardiões da Galáxia teve o mesmo impacto influente sobre jovens cineastas – e a paisagem cinematográfica como um todo – como Star Wars fez quando foi lançado.

Os Guardiões da Galáxia teve uma produção tranquila, mas quando a brincadeira espacial de James Gunn entrou na pós-produção, a Marvel começou a filmar sua altamente aguardada sequência Vingadores: A Era de Ultron, e esse processo criativo foi uma história muito diferente. Na parte 11, veremos como esse filme acabou desgastando a relação entre Joss Whedon e a Marvel Studios.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.